NOTÍCIAS

Votuporanga: Após reunião com Prefeito, Motta garante creche em horários compatíveis com os do comércio

“Projeto está pronto e local definido”, diz Motta sobre creche dos comerciários

publicado em 06/09/2013

Ancelmo Lio

O presidente da Fecomerciários SP, Luiz Carlos Motta, convocou na tarde de quinta-feira, 5 de setembro, após reunião com o prefeito Junior Marão, uma coletiva para falar sobre a creche dos comerciários e as notícias foram positivas. “É uma reivindicação antiga e ficamos felizes com o empenho do prefeito, que está com o projeto pronto e o local definido, pensando no crescimento da cidade.”

Motta não soube informar qual o local que será construído, mas adiantou que o prefeito conhecerá a unidade de Botucatu. “Tenho certeza que o quanto antes a creche estará pronta”. Os municípios de Mogi das Cruzes e Santo André também possuem uma unidade para comerciantes, que funciona em horário diferenciado, durante as férias e aos sábados.

Em relação a parceria, o presidente disse que aguarda a posição da Prefeitura com o que poderá oferecer, em seguida ficará definida quais serão as responsabilidades de cada lado. A intenção é que a creche fique em um local centralizado e a preferência será para as mães que trabalham no comércio, no entanto, aquelas que trabalham em horários diferenciados também terão acesso.

Inclusive Motta, acompanhado pela presidente do Sincomerciários de Votuporanga, Lia Marques e por presidentes de 22 sindicatos do Estado de São Paulo, participaram de uma audiência com o Governador Geraldo Alckmin (PSDB), no Palácio dos Bandeirantes, em março deste ano, para tratar sobre o tema. Na oportunidade, o governador se comprometeu em fornecer a infraestrutura e orientou que os sindicatos pedissem contrapartida às Prefeituras para a implantação de creches com horários compatíveis à carga horária dos comerciários. (A.L.)

 

“As mães comerciárias precisam de uma creche com horário diferenciado”, frisa Lia

 

Para a presidente do Sincomerciários de Votuporanga, Lia Marques, a construção de uma unidade de ensino com atendimento compatível à carga horária dos funcionários do comércio é fundamental.

“O mundo evoluiu e a nossa categoria também. As mães comerciárias precisam ter condições de deixar seus filhos em uma creche que tenha um horário diferenciado, para que não prejudique seu trabalho.”

De acordo com Lia, a implantação de uma unidade com atendimento adequado vai beneficiar tanto o funcionário, quanto o empregador. “Um trabalhador que tem a segurança de que seu filho terá atendimento até às 18h trabalha com mais tranquilidade, e consequentemente, produz mais. O que predomina são as mães no comércio o que faz essa reivindicação justa. Temos em torno de 240 crianças que são filhos de comerciantes e precisamos pensar nisso.”

Outro assunto destacado por Lia é sobre a questão das férias escolares. “Essa unidade deverá atender esse quesito, que é uma reivindicação antiga das mães comerciárias. Algumas trabalhadoras não têm com quem deixar seus filhos no período de recesso e isso prejudica o desempenho profissional delas”.

Fotos: Glauce Sereno

GALERIA DE FOTOS