NOTÍCIAS

"Mulher, Viver sem Violência" : Lia Marques participa de assinatura do Termo de Adesão

A Conselheira Estadual da Condição Feminina e Presidente do Sincomerciários de Votuporanga, Lia Marques, participa, nesta segunda-feira (26/08), da solenidade de assinatura do Termo de Adesão ao Programa "Mulher, Viver sem Violência".

publicado em 23/08/2013

O projeto prevê a construção de centros chamados Casa da Mulher Brasileira, que integrarão serviços públicos de segurança, justiça, saúde, assistência social, acolhimento, abrigamento e orientação para o trabalho, emprego e renda em todas as 27 capitais brasileiras.

A Ministra Eleonora Menicucci, o Governador Geraldo Alckmin, o Presidente do Tribunal de Justiça, Desembargador Ivan Sartori, o Prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, o Procurador-Geral de Justiça do Ministério Público, Márcio Fernando Elias Rosa, e a Defensora Pública Geral, Daniela Cembranelli, também estarão presentes na cerimônia que acontecerá às 10h30, no Centro Cultural São Paulo, em Paraíso-SP.

Serão investidos R$ 265 milhões até 2014, sendo R$ 115,7 milhões na construção dos centros, compra de equipamentos e manutenção, R$ 25 milhões na ampliação da Central de Atendimento à Mulher – Ligue 180, R$ 13,1 milhões na atenção à saúde, R$ 6,9 milhões na humanização da perícia para aperfeiçoamento da coleta de provas de crimes sexuais.

Ainda nesta segunda-feira, haverá também a Repactuação do Estado ao Pacto Nacional de Enfrentamento à Violência contra a Mulher, com a Secretaria de Políticas para as Mulheres - SPM.

 

Casa da Mulher Brasileira

Um das iniciativas do programa prevê a oferta de serviços de assistência social, educação, emprego, justiça, saúde e renda para as mulheres que sejam vítimas de maus-tratos por meio da Casa da Mulher Brasileira. Construída na capital dos 26 estados e no Distrito Federal, o espaço vai reunir serviços da delegacia da mulher, defensoria pública, juizado especial de violência doméstica, equipes de psicólogos e de assistentes sociais, além de oferecer orientação para empreendedorismo, emprego e renda, alojamento provisório e brinquedoteca para as crianças ficarem enquanto a mãe está sendo atendida. Inicialmente, o projeto prevê a criação das casas apenas nas capitais.

 

Violência contra a mulher

Segundo o estudo nacional “Mapa da Violência 2012: Homicídio de Mulheres no Brasil”, realizado pelo Centro Brasileiro de Estudos Latino-Americanos (Cebela) e pela Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais (Flacso), o Paraná é terceiro estado brasileiro com a maior taxa de homicídio feminino, atrás apenas do Espírito Santo e de Alagoas. O estudo também mostrou que o índice de mulheres assassinadas no Paraná é de 6,4 homicídios femininos por grupo de 100 mil, maior que a média nacional, de 4,4 assassinatos.